Home » Artigos Técnicos » MEDIDAS PARA AJUDAR A CONTROLAR O PESO NA QUARENTENA DO CORONAVÍRUS – COVID-19

MEDIDAS PARA AJUDAR A CONTROLAR O PESO NA QUARENTENA DO CORONAVÍRUS – COVID-19

A prevenção é uma medida eficaz: 

Coma para viver, não viva pra comer”.

 

  • Faça um planejamento alimentar por um determinado período;
  • Vá ao mercado com uma lista de compras e adquira alimentos saudáveis, poucos calóricos e minimamente processados;
  • Planeje e estimule o preparo de seus próprios alimentos;
  • Faça 5 a 6 refeições durante o dia: Café da manhã, lanche da manhã, almoço, café da tarde, jantar e ceia. Evitar ficar mais de 3 horas sem comer ou beber;
  • Aumente o consumo de frutas, verduras, vegetais e grãos integrais;
  • Estabeleça horários certos para as refeições e as façam na mesa em local tranquilo, sem celular, música alta ou televisão ligada;
  • Coma sem pressa e mastigue bem todos os alimentos;
  • Diminua o consumo de fontes de gordura animal, principalmente em frituras;
  • Diminua o consumo de açúcar refinado; de alimentos com muito sal, condimentos industrializados (catchup, mostarda, maionese, shoyu e outros);
  • Evite líquidos durante as refeições;
  • Evite misturar nas refeições: arroz/ massa/ mandioca/ batata/ pão/ polenta;
  • Abuse dos temperos e das ervas naturais (alho, cebola, salsa, cebolinha, orégano, manjericão, tomilho, coentro etc.);
  • Retire ou diminua a oferta de alimentos calóricos como: biscoitos recheados, doces, chocolates, salgadinhos, wafers, balas, refrigentantes, sorvetes etc;
  • Dê preferência às frutas picadas ou amassadas nunca liquidificadas;
  • Tome água nos intervalos das refeições, de preferência 200ml a cada hora.
  • Bebidas alcoólicas, inclusive nossas cachaças, com moderação;
  • E, se puder pratique atividades físicas (jogos, caminhadas, brincadeiras);

 

Evite dietas da moda e da mídia! É momento de fortalecer a imunidade, o que não significa comer em demasia e por impulso. Sinta-se melhor, coma certo!

 

A obesidade é uma doença epidêmica, crônica, multifatorial, gradativa, de alto risco e que afeta milhões de pessoas, sem respeitar idade, sexo, raça, condição financeira ou fronteira. O acúmulo excessivo de gordura corporal compromete a  saúde com alterações metabólicas, dificuldades físicas, sociais, psicológicas  e respiratórias, além de se constituir fator de risco para as enfermidades como  a dislipidemia, deficiência nutricional, depressão, doença cardiovascular, diabetes II, alta dos triglicerídeos, de colesterol, de pressão arterial, AVC e alguns tipos de  canceres etc.

 

“Que seu remédio seja seu alimento e que seu alimento seja seu remédio.” (Hipócrates)

 

Caso tenha dúvidas: (11) 97602-2276 

 

 

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*